Lammas - O Sacrifício do Pai - 02/Fev

fevereiro 02, 2014
Lammas
Lammas é o principal festival dos Sabbats das colheitas.

Agora é o tempo de ensinar o que você aprendeu, com os frutos colhidos. Ramos de trigo, assim como Bonecas de milho, são símbolos tradicionais deste Sabbat. O pão é colocado sobre o Altar, que é decorado com frutas e vegetais da colheita. Isso representa o início do ciclo da colheita. No Paganismo Ocidental, esse é um festival dos grãos e por isso é chamado muitas vezes de "o Sabbat das primeiras frutas".


Lammas honra o Deus céltico Lugh. é o Deus das colheitas, do fogo, da luz e do Sol. Ele foi o Rei dos Tuatha de Danan e consorte de Dana, a primeira Grande Mãe da Irlanda. Dana, como a rainha de Lugh e Deusa Mãe, é também honrada nesse Sabbat.

A morte sacrificial e o renascimento de Lugh, assim como a colheita dos grãos, estão sempre conectados a Lammas, simbolizando que sempre o Deus morrerá para renascer novamente através da benevolência da Deusa. 

Outros aspectos desse Sabbat contêm a representação do crescimento, do nascimento, da honra e do agradecimento à Deusa, pelo seu ventre que cultivou as sementes, e a Lugh, em seu aspecto de Deus Sol, pelas bênçãos e fertilização do ventre da Deusa com seu calor e luz.

Um dos costumes modernos pagãos é construir, nesses dias, como parte da comemoração de Lammas, bonecas de milho ou pequenas figuras feitas com pão. As bonecas são colocadas no altar para representar a Deusa Mãe que preside sobre a colheita. Uma nova boneca é feita nesse Sabbat e a antiga é previamente queimada para trazer boa sorte.


Como parte desse processo de agradecimento, a primeira colheita de grãos maduros é colocada dentro da massa do pão que é partilhado com todos os membros da comunidade que festejam o Sabbat. As massas são moldadas na forma de sol, simbolizando o Deus da colheita e a Roda do Ano ou em forma circular com um trigo no topo dele. Pães recém-assados são parte importante da celebração de Lammas.


O pão é elemental por si: terra, ar, fogo e água são combinados em uma substância que sustentou milhares de pessoas durante séculos.


O pão combina as sementes da terra (farinha), com a água, a substância que deu origem a todas as coisas. O sal é o grande agente purificador. Levedura, o sagrado transformador dos Deuses, o segredo. Quando o sovamos estamos trabalhando com a energia do ar, pois é assim que o pão ganha forma. Finalmente quando ele vai ao forno, entra em contato com o elemento fogo. Dessa forma, todos os elementos estão presentes no pão.

Em Lammas, o Sol está começando a declinar no céu, mas o grande calor do dia não evidencia a diminuição da luz. É momento de celebrar a generosidade da colheita com poderoso ritos de gratidão. O Deus lentamente debilitado se sacrifica para alimentar seu povo. Simbolizando o milho colhido, o Deus assume o papel de salvador para preservar a vida na Terra. Esse é o primeiro Sabbat da parte escura do ano. 

Lammas, como uma festival de fogo e de colheita, assume muitos temas sacrificiatórios. Nossos antepassados sabiam que, para receber algo, deveríamos dar primeiro. Nossos antepassados sacrificavam o melhor da primeira colheita para assegurar que as colheitas subsequentes fossem abundantes e cada vez maiores. Esta cerimônia sacrificatória se tornou o ponto central nos rituais de Lammas.

Antigamente, nesses rituais, havia uma efígie do Deus Milho feita com vime e outros materiais. O homem de vime era preenchido com todos os "sacrifícios" da aldeia. Frutas, grãos, riquezas, vinho e outras coisas eram colocadas dentro dele. Uma fogueira enorme era construída lançando sobre o fogo e sacrificado, levando assim os desejos das pessoas até o mundo dos Deuses.


Esse poderoso ritual usa o simbolismo do fogo como o elemento mais etéreo e primitivo na natureza. Enfatiza a relação do fogo com os Deuses da vida e a centelha da criação.

Por incrível que pareça, nós ainda executamos isso durante o rito de Lammas. O homem de vime hoje é feito de grãos, ou milho, que é queimado no caldeirão. Nenhum oferecimento de qualquer fonte animal é usado. Oferecimentos típicos incluem grãos, flores, frutas, incensos, ervas, pedras, perfumes, desejos escritos no papel. Esse ritual inclui um banquete fantástico com muitos pães fresco e frutas.

Lammas é o tempo de dar gratidão pelo que você começou a receber e sacrificar o que você puder para receber mais.

CORRESPONDÊNCIAS DE LAMMAS

CORES: marrom, laranja, vermelho, amarelo
NOMES ALTERNATIVOS: Lughnashad, Elembios, Harvest Tide, Teltain, Lughnasa, Lunasa ou Laa Luanys e Véspera de Agosto (pois no Hemisfério Norte esse Sabbat ocorre no início de Agosto). 
DEUSES: das colheitas e grãos
ERVAS: peônia, flor de trevo, heliotrópio, verbena, murta, rosa, girassol, musgo irlandês, trigo, salga, centeio, aveia, cevada, arroz, alho, cebola, manjericão, menta, babosa, acácia, folha de maçã, folha de framboesa, folha de morango, folha de uva, azevinho, confrei, calêndula, vinheiro, hera, avelã espinheiro preto, sabugueiro.
PEDRAS: olho-de-gato, citrino, aventurina, topázio dourado, obsidiana, ágata musgosa, rodocrosita, quartzo claro, mármores, ardósia, granito, seixos de rio



[fonte: WICCA - A Religião da Deusa/Claudiney Pietro]

Tecnologia do Blogger.